• Cuiabá, 21 de Fevereiro - 00:00:00

Tribunal de Justiça de MT decreta fim da cracolândia de Cáceres


Da Redação

O Tribunal de Justiça do Estado destaca que "determinou uma intervenção interinstitucional em um local conhecido como 'cracolândia' de Cáceres, na segunda-feira (4 de dezembro), no intuito de desarticular a prática de crimes que recorrentes de tráfico de drogas, furtos, receptação e até homicídios".

A ação conta com integração das forças de Segurança de Mato Grosso.

O Tribunal de Justiça - por meio da Comunicação, ressalta:

A ação foi realizada no bairro Cohab Velha, na Rua das Opalas, em três imóveis irregulares conhecidos como “Vila Azul”. Nesse local, circulavam cerca de 50 dependentes químicos, que receberam diversos atendimentos nas áreas de saúde, assistência social, psicologia e encaminhamento familiar.

Com o apoio da Polícia Militar, Polícia Civil, Prefeitura de Cáceres, Defensoria Pública, Governo do Estado, Ministério Público e organizações da sociedade civil, todas as pessoas que estavam no local foram retiradas e os imóveis foram demolidos, pois estavam irregulares diante da prefeitura.

Foram expedidos seis mandados de prisão àqueles que foram classificados como traficantes de drogas que dominavam o crime na região.

“O intuito de prender é o de menos, é mais uma intervenção social do que criminal. Nossa decisão determinou que teria o acolhimento das pessoas, para não prender usuários como se fossem traficantes, no intuito de orientar, acolher, dar apoio técnico da assistência social, da saúde. Eles foram levados a um local adequado de ônibus, receberam alimentação, roupas, documentos e encaminhamentos, que serão feitos pela prefeitura, com o auxílio de organizações civis, como igrejas”, explicou o juiz Elmo Lamoia de Moraes, da 4ª Vara Criminal de Cáceres, especializada no combate ao tráfico de drogas.

Outra preocupação do magistrado é que no município não se repita o mesmo problema que acontece em grandes capitais brasileiras, como São Paulo, onde os usuários de drogas são retirados de um local e depois se instalam em outra parte da cidade. Por isso, todos os órgãos foram acionados pela Justiça, no intuito de resolver o problema com o viés social.

 

Com Mylena Petrucelli/Comunicação TJMT




Deixe um comentário

Campos obrigatórios são marcados com *

Nome:
Email:
Comentário: