• Cuiabá, 21 de Fevereiro - 00:00:00

Instituto Ambiental Chinês destaca MT como referência em produção sustentável


Da Redação

Nesta terça-feira (05.12), durante a 28ª Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), a COP 28, a diretora-executiva do Global Environmental Institute China (GEI), Jiaman Jin, destacou a relevância das práticas sustentáveis adotadas em Mato Grosso, afirmando que o instituto "tem aprendido muito" com o estado brasileiro em termos de produção sustentável e economia verde.

O GEI é um instituto ambiental que atua em parceria com políticos, empresas, cientistas e comunidades locais para desenvolver soluções ambientais. Jiaman participou do painel "Cadeias de abastecimento agrícola sustentável China-Brasil: construindo colaboração para preservar as florestas amazônicas e responder aos riscos das mudanças climáticas".

Durante a conferência, Jiaman Jin ressaltou a importância da visita ao Estado de Mato Grosso para entender de perto as práticas adotadas. "Nós fizemos uma visita no Estado de Mato Grosso para ver 'in loco' as práticas. Aprendemos muito com o programa de passaporte verde de Mato Grosso, que assegura a sustentabilidade da carne produzida", afirmou.

A executiva elogiou a atuação de Mato Grosso como pioneiro nesse mercado, impressionando os players mundiais. "Vemos que são padrões internacionais implementados na cadeia da carne em Mato Grosso. A produção de carne dentro da perspectiva de baixa emissão de carbono é um mercado com grande potencial, e vamos trabalhar para expandir isso", registrou.

No mesmo painel, o governador Mauro Mendes destacou o compromisso do estado com a rastreabilidade da carne, atendendo às exigências dos grandes mercados. "Temos estabelecido instrumentos práticos e efetivos que garantem esta rastreabilidade e assegurem que todos aqueles que estão nessa cadeia produtiva possam estar exercendo a sua atividade com os devidos compromissos de sustentabilidade", pontuou.

O presidente do Instituto Mato-grossense da Carne (Imac), Caio Penido, ressaltou a importância de fortalecer as parcerias com o mercado chinês. "55% de tudo o que exportamos de carne vai para a China. A China é um grande parceiro. E Mato Grosso tem grande potencial de expandir a produção em áreas degradadas. Hoje produzimos uma carne de baixo carbono em larga escala e vamos avançar nessa meta de garantir segurança climática e segurança alimentar", completou. 

(Com Secom-MT)




Deixe um comentário

Campos obrigatórios são marcados com *

Nome:
Email:
Comentário: