• Cuiabá, 17 de Maio - 00:00:00

FIEMT - MENOR TAXA DE DESOCUPAÇÃO EM MT


Mato Grosso registrou em 2023 a menor taxa de desocupação da última década. O índice de desemprego chegou a 3,3%, posicionando o estado em segundo lugar no ranking nacional, atrás somente de Rondônia, com 3,2%. Esse é o menor patamar da série histórica registrada pelo estado, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O bom desempenho na economia, que resulta na efetivação de trabalhadores no mercado de trabalho, também fez com o estado tivesse o segundo maior nível de ocupação do país. O percentual de pessoas empregadas em idade de trabalhar em Mato Grosso chegou a 64,7%, mesmo índice registrado em Goiás e ficando atras somente de Santa Catarina, com 65,9%. A média nacional foi de 56%.

“Certamente a necessidade de força de trabalho é uma das maiores demandas do setor produtivo de Mato Grosso. Instituições como o Sistema Fiemt, através do Senai, Sesi e IEL, podem contribuir para superar esse desafio, com formação profissional e capacitação, trazendo as pessoas para vagas de empregos formais e intermediação entre trabalhadores e empresas”, pontuou o presidente do Sistema Fiemt, Silvio Rangel.

Quarto trimestre 2023 - Dados analisados pelo Observatório da Indústria da Fiemt mostram o número de ocupados registrados no período em Mato Grosso foi de 1,8 milhão de pessoas frente a 76 mil de desempregados. Os números consideram o levantamento do PNAD contínua do último trimestre de 2023. Com isso, a taxa de desocupação de 3,9%, colocando o estado em 3º lugar do Brasil, atrás apenas de Santa Catarina (3,2%) e Rondônia (3,8%).

A taxa de desocupação por sexo em Mato Grosso foi de 2,5% para os homens e 5,9% para as mulheres. Na análise por nível de instrução, o índice para as pessoas com ensino médio incompleto (8,3%) foi maior que as taxas dos demais níveis e instrução, seguido por ensino fundamental completo (4,2%) e ensino médio incompleto (4,1%), fechando os três níveis com maiores participações. Por grupos de idade a taxa de desocupação é destaque a predominância da faixa de 14 a 17 anos com 17,6%.

Informalidade - A quantidade de pessoas na informalidade em todo estado foi de 682 mil pessoas, que reflete uma taxa de informalidade de 36,5%. Em comparação com as outras Unidades da Federação, a taxa coloca Mato Grosso em 7º lugar no ranking.

A taxa de informalidade por sexo em Mato Grosso foi de 38,9% para os homens e 33,1% para as mulheres. Na análise por nível de instrução, a taxa de informalidade para as pessoas sem instrução e com menos de 1 ano de estudo (62,4%) foi maior que as taxas dos demais níveis e instrução, seguido ensino fundamental incompleto (54,5%) e ensino fundamental completo (49,4%) fechando os três níveis com maiores participações. Por grupos de idade a taxa de informalidade é destaque a predominância da faixa de 14 a 17 anos com 70,4 % e 60 anos ou mais com 60,9%.

Por Vívian Lessa/Assessoria Fiemt-MT




Deixe um comentário

Campos obrigatórios são marcados com *

Nome:
Email:
Comentário: