• Cuiabá, 21 de Julho - 00:00:00

'Viver uma vida da qual possa se orgulhar, essa é a meta para 2018', orienta coach Carine Silva


Vinícius Bruno ? Especial para o FocoCidade

As alegrias do fim de ano trazem consigo as típicas reflexões que impulsionam a planejar novas metas para o ano que se inicia. Um dos pontos que mais atrai atenção neste tema é a gestão financeira, afinal, dinheiro é o motor da vida em uma sociedade capitalista.

De acordo com a Master Coach e consultora empresarial Carine Silva, estabelecer metas, escrever uma planilha e enfrentar os desafios é uma receita eficaz para encarar o novo ciclo que começa. Mas se existe um critério para ponderar a qualidade das metas a serem seguidas é ponderar se a vida que se tem levado tem trazido a sensação de orgulho.

Carine também fala em superação, após passar por uma paralisia facial no começo de 2017. Embora a experiência  lhe tenha provocado um natural desconforto, Carine relata que foi um presente, já que possibilitou demonstrar na prática para seus clientes e amigos o que é a superação, palavra tão utilizada no mundo de coach.

Em síntese, um bom planejamento financeiro passa pela capacidade de liderança que cada indivíduo exerce sobre si e sobre as suas finanças. Liderar neste sentido é muito mais que um heroísmo, é uma forma pratica de viver a vida, encarando os desafios pertinentes de cada dia.

Confira a entrevista na íntegra:

2017 ainda foi um ano de reestruturação econômica. Mas muitas famílias ainda estão com baixo poder de compra. Quais são as regras básicas para um bom planejamento financeiro para 2018?

As famílias estavam com muitas dívidas, então esse ano foi pra repensar as despesas e se organizar! Minha dica é fazer uma  planilha com os custos mensais, colocar os filhos para participarem do planejamento e não gastar além ou investir no ano de 2018.

Muito se fala que tempo de crise é a oportunidade para inovar e empreender. Estamos em uma boa fase para novos investimentos? Como identificar as oportunidades?

Ainda não é hora de investir, pois os juros estão muito altos . A oportunidade é fazer caixa, poupar capital e escrever metas. A oportunidade atual e de aprender a fazer mais com menos! Isso gera consciência e evita o consumismo.

Na verdade as pessoas ainda sabem pouco sobre si, o que provoca uma auto exclusão.

Essa consciência de economizar e esperar o momento certo depende também de uma percepção pessoal. Como desenvolver essa capacidade e treiná-la para empreender no momento certo?

Gosto de fazer a seguinte pergunta pra meus clientes: você precisa disso ou você quer isso? A maioria das respostas são eu QUERO. Quando avaliamos essa resposta que a nossa mente quer mais coisas do que realmente precisamos já é um grande passo para tomar a decisão certa. Empreender está ligado a criatividade, ideias, disciplina e foco. De modo geral, a ideia que predomina sobre empreender é bem diferente disso, pois muitas pessoas pensam que empreendedor e só quem tem um negócio. Pra mim empreendedor é aquele que recebe um salário mínimo e consegue fazer o que precisa ser feito.

O querer acima da necessidade é consequência do grande apelo ao consumo?

Certamente. Na verdade as pessoas ainda sabem pouco sobre si, o que realmente faz sentido. A moda de um modo geral funciona como um opressor, com frases tais como: se você não for assim... , se não tiver isso não serve pra viver nessa sociedade! E aí acontece uma auto exclusão! O Brasil é o país com maior índice de ansiedade do mundo. E isso é resultado do apelo ao consumo e a preocupação em demasiado com o futuro.

Em 2017, você aplicou o programa Cause Impacto. O que é necessário fazer para causar impacto? É possível causar impacto em qualquer dimensão da vida?

Além do Cause Impacto tenho um treinamento de liderança no sul e minhas consultorias são para empresários , líderes e pessoas que desejam a auto liderança! Para causar impacto é necessário: 1- ter clareza de quem realmente é , qual seu perfil comportamental; 2 - escrever metas, saber onde quer chegar, pois quem não sabe pra onde vai qualquer caminho serve; 3- gestão do tempo , agenda; 4- esforço: nada vem sem esforço; 5- foco , foco e foco não sair da linha planejada; 6- curtir a caminhada; 7- comemorar as pequenas vitórias; 8- O PRINCIPAL: seguir suas ideias não deixar que influências externas e negativas te tirem do caminho. Seguindo essas dicas, o maior impacto será: estou vivendo um vida da qual eu possa me orgulhar!

Talvez essa última questão seja uma das grandes dificuldades do tempo contemporâneo. Viver uma vida da qual se orgulhar requer quais quesitos?

Eu penso que quando encontramos nosso propósito que é: nasci para isso! tudo começa a ter sentido , não se vive mais um dia após o outro! O ideal não é construir riquezas e sim viver de forma abundante em todos os sentidos! Quando encontramos os valores que nos regem nada mais nos coloca preço. Eu hoje vivo a plenitude de servir a uma sociedade que posso enxergar seu real valor. Orgulho-me disso! Mas tenho desafios diários e isso só me impulsiona, pois sei que por onde passo deixo a pegada de alguém que fez a diferença. Só alcancei isso quando pude me conhecer de verdade e seguir os meus impulsos sem querer ser inclusa.

Hoje as pessoas têm voz, conhecem seus direitos e fogem de seus deveres. Fogem da dor, mas essa apenas nos fortalece.

 Você precisou passar por isso, quando teve a paralisia facial. Gostaria que você contasse como foi essa experiência. Como você superou esse desafio?

Esse desafio foi um presente, as pessoas tinham pena de mim e isso é péssimo! Ainda estou com paralisia, melhorei 80%, mas tenho dores insuportáveis diariamente e isso é o que preciso passar. Hoje sou uma pessoa melhor, mais paciente comigo mesma e aprendi que posso fazer o meu melhor e estou fazendo, pois a cura não é no meu tempo. Por outro lado, esse ano com paralisia foi o ano que mais trabalhei, meus clientes de coaching e consultoria triplicaram  devido a eu estar sendo um exemplo de superação. Realmente a paralisia é um presente, já que me fez crescer como pessoa e profissional! Ainda não sei se vou me recuperar 100%, mas tudo tem um propósito e eu procuro aprender a cada dia como isso pode me fazer melhor. E as dores? Vamos  convivendo e dando lugar a ela pois faz parte dessa trajetória. Nunca tive um desafio desses mas acredito que estou indo bem .

Lidar com dores. Eis uma realidade que nossa sociedade contemporânea tem tentado abandonar. Para ser um líder, seja de uma empresa seja da própria vida, é preciso também saber lidar com as dores? De que forma dar sentido a isso?

Sim, sem dor sem ganho, já nos ensinou Arnold. Se quero ser um líder de gestão certamente terei que pagar o preço. Hoje as pessoas têm voz , conhecem seus direitos e fogem de seus deveres. Eu sou apaixonada em treinar líderes e fazer com que eles descubram o grande poder da superação. A cobrança é grande, o mercado e exigente, mas hoje temos uma oportunidade muito maior de aprendizado e alta performance. Os líderes atuais são da geração Y filhos da geração x e os colaboradores são da geração Google, é muita diferença. Os valores mudaram a forma de liderar deve ser renovada . E o treinamento deve ser constante. E as dores somente nos fortalecem.

Para finalizar, qual é a melhor definição de sucesso?

Essa é fácil! Sucesso é você viver uma vida com sentido, fazendo o que se ama e aprendendo diariamente. Sucesso começa na família e se estende para os outros lados da vida.




0 Comentários



    Ainda não há comentários.