• Cuiabá, 21 de Fevereiro - 00:00:00

Marcelo, 19 anos


Onofre Ribeiro

         Neste dia 7 de dezembro, completa 19 anos que o nosso filho Marcelo nos deixou, aos 29 anos, num acidente de moto em Salvador. Tanto tempo. Tão pouco tempo. Os primeiros momentos, os primeiros dias, meses e anos foram doloridos. Mas o tempo é mesmo o senhor da razão.

         Hoje passados esses 19 anos forçoso olhar pra trás, pro presente e pro futuro. Se ele estivesse aqui conosco, teria 48 anos. Certamente estaria com os cabelos embranquecendo. Ele e o Fábio tem essa tendência. André e Tiago estão demorando mais.

         O nosso olhar familiar de hoje é muito mais consolador do que já foi. Não temos mais lágrimas. Só bons olhares. O tempo passou lentamente, mas firme. Nosso neto Luka, filho do Marcelo e da Daniela, está com 22 anos. Tinha três anos na época. Estuda medicina em Aracaju, morando com o Fábio e família. Tem tudo do pai. O mesmo olhar firme. Desde já tem profunda consciência da sua missão na medicina. Bem o jeitão do pai. A energia dele, a autoridade da mãe.

         Muitos jovens estão morrendo. Mais do que antes. Fruto de tantas coisas e ninguém pode impedir isso. Ansiedade, stress, álcool, drogas, depressão, suicídios, acidentes. É um tempo diferente no correr da história da humanidade. Marcelo nos deixou aos 29 anos num acidente de moto, Foi o seu modo de partir.

         Todos os anos escrevo um artigo nesta data, tentando retratar o estado de espírito meu, da Carmem e dos nossos filhos e netos. Sei que muitos pais estão vivendo as dores cruéis do luto pela passagem de filhos. É dificílimo mesmo. Passamos por isso e sabemos o quanto é difícil nos ajustarmos com a ausência permanente do filho amado. Nesses artigos sempre penso nos pais que estão vivendo a dor recente. Gostaria de dizer-lhes que tudo passa. Dia após dia o tempo vai assentando a tristeza da ausência do filho. A vida volta pro eixo.

         Talvez a emoção mais forte que fica é saber que tivemos o privilégio de tê-lo ao nosso lado por 29 anos. Seu tempo findou e ele, vez por outra, nos faz saber que está bem e ocupado com novas missões. Bem o seu jeito.

         Aqui, Carmem e eu, cabelos ficando grisalhos percorrendo a nossa estrada. Com saudades, mas como amor e a certeza de que tudo seguiu o seu curso determinado pra nossas vidas. Sem choro. Sem reclamação nem vítimas. A família cresceu, evoluiu e tudo se ajustou. Tudo sempre se ajusta.

         Quando as coisas por aqui apertam, chamo por ele. Sempre funciona. É uma forma de sabermos que continuamos conectados como sempre estivemos aqui e lá! Seguimos juntos no coração.

 

Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso.

onofreribeiro@onofreribeiro.com.br    www.onofreribeiro.com.br    




Deixe um comentário

Campos obrigatórios são marcados com *

Nome:
Email:
Comentário: