• Cuiabá, 19 de Julho - 00:00:00

Wellington defende Rodovia Binacional Brasil-Bolívia para avançar na logística e transporte


Da Redação

“A estrada revolucionará a logística e o transporte, reduzindo distâncias e custos, melhorando a competitividade dos produtos mato-grossenses. Além disso, facilitará o acesso aos mercados internacionais, ampliando exportações e beneficiando produtores com insumos mais baratos. Também gerará empregos e impulsionará o desenvolvimento econômico regional”, assinalou o senador Wellington Fagundes (PL-MT) - sobre a Rodovia Binacional Brasil-Bolívia.

A Comunicação do senador pontua mais informações:

Foi realizada nesta quarta-feira (11/06), uma audiência pública presidida pelo senador Wellington Fagundes para discutir a evolução da rodovia binacional Brasil-Bolívia, um projeto importante para o escoamento da produção agropecuária do estado de Mato Grosso, que contou com a participação de representantes do governo, além de lideranças empresariais e regionais.

Entre os participantes, estavam o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, o prefeito de Vila Bela da Santíssima Trindade – MT, André Bringsken, além de Mariana Campos Porto, da Secretaria Nacional de Transportes Rodoviários (SNTR); João Carlos Parkinson de Castro, do Ministério das Relações Exteriores (MRE); Pedro Lacerda, do Comitê Pró-Asfaltamento e Integração Brasil-Bolívia; Edeon Vaz Ferreira, da Federação de Agricultura de Mato Grosso e Miguel Mendes, diretor executivo da Associação dos Transportadores de Cargas de MT. 

Fagundes ressaltou que a construção da Binacional não é apenas uma rodovia, mas um verdadeiro corredor de oportunidades e desenvolvimento. 

O governador Mauro Mendes ressaltou o exemplo da zona de processamento de Exportação de Cáceres, criada há mais de 40 anos, que poderia ter sido um excelente modelo de industrialização, como a China fez, porém, o PIB industrial brasileiro caiu porque não estabelecemos um modelo competitivo nacional e global.  “Encurtar distâncias e integrar é importante. A Bolívia, com seus 11 milhões de consumidores, é um mercado vital para Mato Grosso, o maior produtor agropecuário do mundo. Eles produzem fertilizantes e nós alimentos, criando grandes alternativas de mercado mútuo”, afirmou. 

Mendes afirmou que não há dúvidas de quanto este projeto da rodovia é importante e que tudo precisa sair do papel. “Do lado de Mato Grosso, já mandamos contratar o projeto que vai sair de Vila Bela da Santíssima Trindade, com 84 km. Projeto que já está em elaboração. Temos o compromisso de asfaltar os primeiros 40 km. Do outro lado, 150 km, precisaremos de articulação por parte do governo da Bolívia e do governo federal”, ressaltou o governador.

O prefeito André Bringsken afirmou que a rota de integração é fundamental para o desenvolvimento agrícola e econômico da região. “A Bolívia hoje produz todos os fertilizantes que o Brasil precisa. É o cloro, é o potássio, é a ureia, o sal. Na Bolívia, há montanhas e montanhas de sal e não tem para quem vender. O nosso sal de Mato Grosso, por exemplo, vem de Mossoró, que abastece o Brasil inteiro, supercompetitivo. Quatro mil quilômetros de distância, o sal da Bolívia está a mil e quinhentos quilômetros de Cuiabá, então isso diminui o transporte e faz com que a rota seja extremamente interessante ao Brasil, pois nossos fertilizantes vêm da Rússia, da Alemanha, da África do Sul. Imagina o custo de frete que irá reduzir trazendo os fertilizantes da Bolívia”, pontuou.

A audiência pública foi um passo importante para a viabilização da rodovia binacional, com novas ações previstas para dar continuidade às discussões e promover o avanço do projeto. Um grupo com representantes dos governos do Brasil e da Bolívia será formado para agilizar as demandas do projeto.

 

Com Assessoria




Deixe um comentário

Campos obrigatórios são marcados com *

Nome:
Email:
Comentário: