• Cuiabá, 18 de Junho - 00:00:00

Emanuel diz que Estado boicota repasse de R$ 60 milhões à Saúde


Da Redação

Em vídeo nas redes sociais, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), aponta suposto "boicote" à cargo do Estado no contexto da esperada liberação de R$ 60 milhões - do Ministério da Saúde, para o Hospital Municipal (HMC). 

Esses recursos foram destinados ao HMC após articulação do prefeito da Capital, com respaldo do deputado federal Emanuel Pinheiro Neto - Emanuelzinho (MDB), que é vice-líder do Governo na Câmara - via ministra da Saúde, Nísia Trindade/Governo Lula.

No dia 9 desse mês, Emanuelzinho confirmou a remessa do montante para o HMC - frisando que o hospital atende cerca de 60% de pacientes do interior de Mato Grosso. 

Na data, Emanuel assinalou que a liberação dos recursos dependiam de aprovação de comissão da área - mas considerou que seria célere o repasse. 

Na noite de ontem (16), o prefeito espelhou outro quadro - confirmando nova agenda em Brasília e também "contratempos" que ele sugere ser por conta do Governo:

"As exigência do SUS solicitaram a aprovação da CIB - Comissão Intergestores Bipartite - formada por gestores de todo Estado. Essa comissão aprovou esse justo pleito de Cuiabá e ao invés de deixar deliberado para mandar para Cuiabá enviar para o Ministério da Saúde agilizar os recursos à Saúde, por algum motivo a CIB mandou na aprovação que fosse deliberado ainda pelo CIR - que é a Comissão Intergestores Regional, ou seja, dos gestores de Saúde do Vale do Rio Cuiabá. Essa reunião foi hoje, como ocorre em cada município da nossa região, a pauta foi no Planalto da Serra. O nosso secretário de Saúde foi defender a pauta para ser liberado. No entanto, a senhora Cláudio Morero, que é a chefe do escritório regional, e que é servidora do Estado, em nome do Governo do Estado, ela não pautou essa reivindicação de Cuiabá e o Ministério da Saúde está esperando para acelerar e liberar o recurso. Ninguém entendeu", cravou Pinheiro. 

O prefeito criticou essa posição; "ela alegou que precisava estudar a matéria, fato que nunca ocorreu em nenhuma dessas deliberações, seja da CIB ou seja do CIR".

"Perdemos mais uma semana e foi pautado para a próxima semana."

E acentuou: "estou indo para o aeroporto, vou colocar toda essa situação para o deputado Emanuelzinho, para a ministra da Saúde, Nísia, para os técnicos do Governo Federal para que eles saibam exatamente o que está acontecendo nessa relação Governo do Estado e município, tanto que o Governo do Estado vem prejudicando deliberadamente a Capital por puro boicote, uma situação inexplicável e inaceitável". 

Outro lado

Este espaço segue aberto para eventuais manifestações do Estado sobre o assunto.




Deixe um comentário

Campos obrigatórios são marcados com *

Nome:
Email:
Comentário: