• Cuiabá, 22 de Outrubro - 00:00:00

"O Estado arrecada muito, então que faça o seu papel", diz Mendes ao prometer não aumentar impostos


Da Redação - FocoCidade

Governador eleito Mauro Mendes (DEM), acentuando meta de redução de despesas na máquina pública, pontuou, na noite de ontem no Centro de Eventos do Pantanal, alerta sob a política tributária para que apresente resultados ao cidadão, mas "sem aumento de impostos".  

"O cidadão quer um Estado que cumpra o seu papel, porque ele (Estado) arrecada muito, então que faça o seu papel. Todo mundo tá cansado disso, de lenga-lenga em época de eleição. Vamos entregar um Estado melhor, que respeite o contribuinte, o empreendedor, que estimule o ambiente empresarial, um Estado que cresça, se desenvolva e preste um serviço de qualidade ao cidadão. O cidadão está cansado de pagar impostos e não ver resultados". 

Destacou que sua gestão será pautada no planejamento, não em anúncios "espetaculosos". Nunca gostei de medidas espetaculosas para chamar atenção. Meu mandato em Cuiabá alguns falavam isso mas implantamos um trabalho sério. Aquela história dos 100 dias, como se 100 dias fosse mudar tudo. Como se fosse chegar lá e apertar o botão e resolver tudo. Deve apertar os botões certos, ao tempo, e começa a mudar a história de Mato Grosso. Serão dezenas de ações simultâneas, planejadas. 

Corte na máquina pública

Mauro Mendes disse que buscará diálogo com os Poderes Constituídos para rever orçamentos. "Vou procurar trabalhar respeitando os limites como candidato eleito, no regime de transição, mas se a Assembleia Legislativa nos der essa oportunidade, e o atual Governo nos der essa oportunidade, certamente nós faremos esse diálogo tentando contribuir para um orçamento em 2019 dentro daquilo que desejamos para ajustar Mato Grosso e colocar no trilho", em menção à minimização de gastos.

Mendes comentou os ataques à sua campanha, por meio de fake news. "Nos úlimos dias a nossa campanha foi vítima de fake news, inverdades, mentiras, algumas críticas políticas são aceitáveis, mas ofensas empresariais que foram feitas, não. Essa madrugada, alguém fez um jornalzinho apócrifo distribuído em Cuiabá. Isso é a velha política, baixa, pequena, de achar que vai enganar o eleitor, gasta-se dinheiro, suja a cidade e isso não produziu efeito nenhum. Isso é um recado para políticos, que devemos trabalhar com bom debate."