• Cuiabá, 22 de Outrubro - 00:00:00

Magistrados debatem medidas estratégicas de segurança no Judiciário de MT


Da Redação - FocoCidade

A diretoria e membros da Associação Mato-grossense de Magistrados (Amam) se reuniram com a Comissão de Segurança do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), nesta quarta-feira (3), em Cuiabá. O encontro ocorreu na sede da Amam e faz parte de uma série de ações da entidade para discutir e propor medidas institucionais de segurança mais efetivas para a atuação judicante no Estado.

Na última segunda-feira (1), o juiz Carlos Eduardo de Moraes e Silva, foi baleado no ombro, dentro de seu gabinete, no Fórum da Comarca de Vila Rica (a 1.259 km de Cuiabá). O fato foi o estopim para acender a luz vermelha na área da segurança dos magistrados.

O juiz baleado foi atendido em Palmas (TO) – visto que a capital de Tocantins fica mais próximo de Vila Rica que Cuiabá –, já recebeu alta médica e retorna para Mato Grosso. Este já é o terceiro caso observado de atentado contra magistrados em Mato Grosso. 

Conforme destacou o presidente da Amam, José Arimatéa Neves Costa, a entidade está à disposição para contribuir em relação aos estudos de soluções de curto, médio e longo prazo para o estabelecimento de condições de segurança dos magistrados e dos ambientes de trabalho nos Fóruns espalhados por todo o Estado de Mato Grosso. 

“Essa reunião é muito importante no sentido de ouvirmos os colegas e nos aproximarmos ainda mais da realidade em que cada um deles está inserido, bem como para nos atualizarmos acerca das ações pretendidas e planejadas pelas unidades de segurança. E, a partir daí, verificarmos alternativas imediatas, sem perder de vista as soluções de médio e longo prazo. Após esse encontro, vamos elaborar uma ata conjunta que será encaminhada ao Tribunal de Justiça”, ponderou.  

Na oportunidade, o coordenador Militar do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), o coronel Rhaygino Setúbal apresentou aos representantes do Judiciário um panorama acerca dos projetos de segurança para as comarcas que estão em andamento no Estado (Primeira, Segunda e Terceira Entrâncias e Entrância Especial, além da sede do Tribunal de Justiça). 

“Temos contratos de consultoria em trâmite, há 10 meses, no Poder Judiciário para mapear todas as unidades em Mato Grosso. Esses estudos se encontram em fase avançada. Foram feitas visitas in loco, o levantamento dos dados [99% das unidades não tinham as plantas arquitetônicas atualizadas] e, agora, estamos em etapa de apresentação dos projetos para cada Fórum – que, em breve, serão apresentados ao TJ para verificação da questão orçamentária”, explicou.

Entre as propostas apontadas pelos magistrados presentes na reunião, constam desde a padronização de procedimentos de cadastro para entrada nos Fóruns, aquisição e instalação de câmeras com sensores e aparelhos de raios-x, reforço no policiamento das unidades até capacitação e treinamento de assessores. Também estiveram no encontro o presidente e membros da Comissão de Segurança do TJMT, o desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha e os magistrados Maria Rosi Borba e Bruno D’Oliveira Marques, respectivamente.

 

Com Assessoria