• Cuiabá, 19 de Outrubro - 00:00:00

"Quero fazer diferente, um governo humano que não pense só em números", critica Wellington


Da Redação - FocoCidade

Na disputa ao Governo, o senador Wellington Fagundes (PR) vem, aos poucos, "incrementando" o tom das críticas ao governador Pedro Taques (PSDB), que concorre à reeleição. Fagundes tem mantido a linha propositiva, de exposição de ações pontuadas no Plano de Governo, mas acentua nos últimos dias as alfinetadas em Taques.

Conprindo agenda de visitas na indústria, nesta semana, disparou: “proponho fazer diferente, proponho um governo humano que não pense só em números, mas sim na qualidade de vida e em servir à população. Um governo voltado às pessoas, municipalista e presente”.

O candidato visitou ontem (18) a unidade industrial da Açofer, no Distrito Industrial de Cuiabá. Lá foi recepcionado pelos diretores, Haroldo e Fernando Kuzai e pelos colaboradores da empresa. A Açofer possui 40 anos é uma das maiores indústrias do segmento metalmecânico do Estado.

Wellington apresentou algumas propostas do seu plano de governo, especialmente as voltadas para geração de emprego e renda e reforçou o objetivo de "um governo que cuide das pessoas".

O diretor da Açofer, Haroldo Kuzai, acredita que Wellington será um bom governador para Mato Grosso. “Tem muita experiência em Brasília, sabe articular investimentos e projetos para Mato Grosso. Esse bom relacionamento e o conhecimento são fundamentais para desenvolver um setor muito carente do Estado, que é o de infraestrutura”, disse Kuzai.

Durante a conversa com os colaboradores, Wellington destacou que o maior capital de uma empresa são os seus funcionários. “É o capital humano, não é o estoque, não são as mercadorias e nem as máquinas. E devem estar qualificados e motivados para trabalhar, e, assim, produzir e ser produtivo”.

Aproveitando o assunto, o candidato reforçou promessa de valorizar os servidores públicos, que "são o principal capital do Governo do Estado". “Salário é sagrado, independente se é pago a colaboradores da iniciativa privada ou do poder público. A insegurança em relação ao pagamento cria um ambiente hostil, de apreensão e desmotivador. E quero resgatar a estima do funcionalismo, que se sente abandonado na atual gestão”, cutucou Fagundes.

Wellington Fagundes integra uma ampla coligação de oposição ao atual governo. Composta por dez partidos, ‘A Força da União’ tem Sirlei Theis, como candidata à vice-governadora, Adilton Sachetti e Maria Lúcia Cavalli candidatos ao Senado Federal.