• Cuiabá, 19 de Dezembro - 00:00:00

Quase 60% dos usuários diz que transporte público melhorou no último ano


André Garcia Santana - Sicom

Para quase 60% dos cuiabanos o transporte público na Capital melhorou no último ano. A porcentagem foi divulgada nesta semana pela Consulting do Brasil, que realizou uma pesquisa sob encomenda da Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Cuiabá (Arsec). Esta evolução resulta de ações como a criação dos corredores exclusivos para ônibus, instalação de pontos e treinamento dos profissionais do setor.

Ainda com relação a este quesito, apenas 9,60% dos cuiabanos acredita que o transporte coletivo piorou, enquanto outros 33,66% considera a situação indiferente. O titular da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), Antenor Figueiredo, explica que o levantamento é realizado anualmente desde 2016 e que seus resultados ajudam a nortear as ações para o setor.

Além disso, os números serão considerados durante a elaboração da licitação para contratação de empresas de ônibus, que será lançado ainda neste ano. “O contrato firmado com as empresas que atuam hoje não atende mais as demandas da Capital, então, mesmo que elas participem da licitação novamente, terão que se adequar a estas especificidades”, afirma.

O levantamento foi realizado entre nove e 19 de julho de 2018, por meio de entrevistas presenciais com 1.509 pessoas, em 32 linhas de ônibus diferentes. Os passageiros foram ouvidos dentro dos veículos e por diferentes pontos de ônibus na Capital. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos.

A satisfação da maioria dos entrevistados também se deve à pontualidade observada no transporte coletivo. No total, 61,92% acreditam que os ônibus chegam e partem nos horários previstos, enquanto que, para sete em cada 10 passageiros, os atrasos nas viagens decorrem de questões do trânsito e não por problemas nas linhas ou veículos.

É o que reforça o diretor de trânsito, Nicolau Budib. De acordo com ele, parte da redução nos atrasos se deve à criação dos corredores exclusivos para ônibus. “Na Prainha e Avenida do CPA nós praticamente sanamos o problema. Na Fernando Correa é onde ainda podemos constatar uma fragilidade maior. Isso porque há um trecho ali que não tem espaço para o corredor, então é uma questão de infraestrutura. Qualquer acidente ou veículo quebrado ali pode causar uma demora maior.”

A pesquisa traz ainda outro dado positivo: 80% dos usuários gastam até 10 minutos para irem de suas casas até as paradas de ônibus ou terminais. Destes, 40,6%, realizam opercurso em menos de cinco minutos, e 39,47% entre 6 e10 minutos. Outros 13,84% levam entre 11 e 15 minutos, enquanto 3,77%  despendem entre 16 e 30 minutos. Uma pequena porcentagem de 2,32% precisa de mais de 30 minutos. Cuiabá conta atualmente com 2.500 pontos de ônibus, divididos entre abrigos e placas de indicação de parada dos coletivos.

“É claro que ainda há alguns pontos que devem ser melhorados, mas, de modo geral, estamos à frente de muitas cidades brasileiras. O que ocorre bastante é que o transporte público acabou estigmatizado. Tem muita gente que não usa, não conhece e fala mal. Por isso estamos sempre atentos à pesquisas como essas, para saber onde estamos acertando e o que ainda deve ser feito”, finaliza Nicolau.