• Cuiabá, 23 de Setembro - 00:00:00

Vereador provoca tumulto em secretaria e intimida servidores públicos


Da Redação - FocoCidade

Vereador Abílio Júnior (PSC) invadiu órgãos públicos da prefeitura de Cuiabá, na sexta-feira (17), intimidando servidores e provocando constrangimento aos que tentavam, em vão, atender os pleitos do parlamentar fugindo às regras mínimas do bom senso e esperada conduta de nobres edis da Câmara Municipal, como ressalta a gestão.

Segundo a Secretaria de Inovação e Comunicação (Sicom), “Abílio passou a maior parte do dia obstruindo os serviços da secretaria do município, desrespeitando os servidores públicos da Capital, além de infringir um dos princípios constitucionais que regem a administração pública: o da eficácia”.

Relato da Sicom destaca que “o vereador entrou à força nos departamentos, gravando e intimidando os funcionários, que estavam em horário de expediente, exercendo suas funções, fazendo com que todos parassem seus afazeres para atendê-lo. Essa atitude, muitas vezes, leva o dia inteiro. Tempo e dinheiro público sendo desperdiçados”. 

“Não nos furtamos de dar nenhuma informação, só pedimos a ele que a solicitação fosse feita da forma correta, da forma que um parlamentar deve se comportar. É muito simples fazer um requerimento e nós respondermos, mas não me parece que ele esteja querendo apenas as informações”, pontuou o secretário da Sicom, Júnior Leite, acrescentando que “além disso, ele não quis conversar civilizadamente comigo, que respondo por essa secretaria, e ficou filmando a mim e aos funcionários sem autorização. O ato dele me parece mais promocional do que em favor da população”.

Abílio foi informado que todas as solicitações também podem ser encontradas no próprio site oficial do município. A Sicom considerou ainda que o vereador afirmou que conhece todos os canais de transparência que a prefeitura dispõe, mas se nega a usá-los.

“Nossa gestão é humanizada, não podemos permitir que ele venha obstruir o trabalho dos nossos servidores, além de invadir a privacidade deles, como cidadãos, filmando-os e fotografando-os. É minha responsabilidade cuidar de todos. Essa é uma ordem do prefeito Emanuel Pinheiro”, reforçou Leite.

Em entrevista, destaca a Sicom, "Abílio não conseguiu responder por que se sentia superior aos outros vereadores na forma de tentar coletar informações, uma vez que todos os demais fazem requerimentos de informações e são atendidos dentro do prazo estipulado por lei". 

Informado sobre o ocorrido, o secretário-adjunto de Governo, Lincoln Sardinha disse que “a Câmara tem que tomar uma atitude contra essa postura antiética do vereador Abílio. Ninguém vai obstruir o trabalho dos funcionários do município, atrapalhar um dia inteiro de trabalho e ainda sair impune. As pessoas estão ficando amedrontadas. Tomaremos sérias providências sobre esse péssimo comportamento do parlamentar. Quem perde com esses atos promocionais é a população que está pagando pelo serviço dos funcionários públicos e do próprio vereador”, assinalou Lincoln ao frisar que “ele se diz cristão, mas cadê o respeito e amor ao próximo”.

Em nota, vereador nega desrespeito às normas, confira:

"O vereador Abílio Brunini salienta que momento algum desrespeitou qualquer servidor da Secretaria de Inovação e Comunicação Social de Cuiabá (Sicom).

Esclarece que a ida até aquela Secretaria tinha como propósito buscar informações sobre contratos de prestações de serviços feitos por empresas de midias, na tentativa de fiscalizar o emprego do dinheiro público em campanhas publicitárias.

Enfatiza que determinado procedimento, está respaldado pela Lei Orgânica do Município, no artigo 11, inciso 14. E que, se outros vereadores não utilizarem desse prerrogativa, não é requesito para ele deixar de se valer da Lei, para dar maior transparência às ações do Poder Executivo.

"Todo o vereador tem livre acesso em qualquer órgão público, seja da administração direta ou indireta, pode diligenciar a pessoa competente no local ou copiar e coletar qualquer informação pública”, destaca.

O vereador salienta ainda que filmou sua ação na Sicom para se resguardar de futuras denúncias inverídicas, feitas de forma caluniosa, injuriosa e difamatória, como já fizeram. Tal medida, inclusive, foi tomada sob orientação do procurador da Câmara Municipal, Lenine Póvoas.

Quanto ao questionamento de sua conduta, de forma imediata e repentina, ele salienta que "não faz sentido avisar com antecedência antes de ir ao local". Para ilustrar, compara a situação com a atuação de um agente de trânsito, que se avisar que está indo a determinado local, quando chegar, não encontrará nenhuma irregularidade."