• Cuiabá, 23 de Setembro - 00:00:00

Taques diz que "organizou Estado financeiramente" e propõe nova etapa em MT


Da Redação - FocoCidade

Governador Pedro Taques (PSDB) divulgou seu plano de Governo, no projeto à reeleição, após protocolar o documento no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT), na terça-feira (14). São 71 páginas, divididas em cinco eixos, que detalham as ações desenvolvidas pela gestão Taques para reorganização do Estado e os compromissos para os próximos quatro anos.

O tucano mostra de que forma pretende inaugurar uma “nova etapa de desenvolvimento em Mato Grosso”. Acompanhado do candidato a vice-governador, Rui Prado (PSDB), do presidente estadual do PSDB, Paulo Borges, e do coordenador jurídico da campanha, advogado José Antônio Rosa, o governador avaliou o novo momento que o Estado vive, após a atual administração ter reequilibrado as contas públicas e após a grave crise econômica nacional.

“Superamos a fase econômica mais crítica da história do país e conseguimos organizar o estado financeiramente. Agora, vamos viver um novo momento, com a casa arrumada. Mato Grosso vai precisar de pessoas preparadas para essa nova fase que atravessaremos. Fase de industrialização, verticalização daquilo que nós produzimos. Com mudanças que devem ocorrer na Previdência nacional e na Lei Kandir, vai sobrar mais dinheiro para fazermos os investimentos que Mato Grosso precisa. Estamos preparados para essa nova etapa de desenvolvimento e eu estou muito otimista”, afirmou o governador.

O "equilíbrio" das contas públicas é questionado por adversários nas eleições 2018, leia-se as críticas ferrenhas de Mauro Mendes sobre suposto déficit de R$ 3,6 bilhões no caixa de Mato Grosso, em números rebatidos pelo Executivo.   

No primeiro eixo, nomeado “Viver Bem”, Taques reúne as políticas que buscam atender o cidadão de forma individual e que cuidam de sua saúde, da segurança, da cultura, do trabalho e de proteção aos menos favorecidos. O programa lembra as ações de Governo já realizadas na área da saúde, como o aumento em 205 do número de leitos de UTI, a ampliação da cobertura da atenção primária em 76% e o aumento de 14% nos recursos aplicados em ações e serviços.

A Saúde é outro ponto de indagações ao Governo, em crítica recente do candidato ao comando do Estado, senador Wellington Fagundes (PR), que ressalta "atrasos nos repasses aos municípios".  

Conforme o Plano de Governo para os próximos quatro anos,Taques planeja a cooperação técnica e financeira com os municípios para revitalizar hospitais regionais, além de implementar a política de assistência farmacêutica e ampliar sistemas de apoio diagnóstico e terapêutico em parceria com os consórcios.

Também são objetivos da gestão Taques para os próximos quatro anos o fortalecimento da gestão da Secretaria de Estado de Saúde (SES) com a valorização do servidor, o restabelecimento da autonomia administrativa e financeira do Fundo Estadual de Saúde, o fortalecimento do papel da Escola de Saúde na implementação da política estadual de educação permanente nas regiões de saúde, a estruturação física, organizacional e tecnológica das unidades da SES e a realização de parcerias com organismos internacionais.

Dentro do primeiro eixo, também aparece a manutenção e ampliação de um dos seus programas sociais de maior sucesso, o Pró-Família que já promoveu acesso à renda, aos serviços sociais básicos e ações de desenvolvimento das capacidades de 25 mil famílias mato-grossenses para a superação da condição de vulnerabilidade. De acordo com o plano de Governo, será criado o Programa Estadual de Qualificação Profissional com o objetivo de realizar cursos e oficinas para qualificar e preparar, prioritariamente, as famílias cadastradas no Pró-Família.

Ainda na área social, o Governo pontua que "após viabilizar a construção de sete novas unidades do Ganha Tempo nas cidades-pólo do Estado, Pedro Taques tem a proposta de seguir com aberturas de novas unidades em mais municípios de Mato Grosso. Em Cuiabá, o atendimento nas unidades são hoje avaliadas por mais de 90% dos usuários como bom e ótimo".

Já na área da Segurança, Taques destacou "a redução acentuada nos índices de homicídios, latrocínios e a contenção dos índices de roubos às instituições financeiras no período de 2014 a 2018, resultados dos investimentos feitos em inteligência, da reforma de delegacias, da compra de novos equipamentos, do aumento do número de viaturas, do aumento do efetivo com o chamamento de 3.663 homens e mulheres para as forças. Somente para o Corpo de Bombeiros, foram 405 novos homens contratados, enquanto nos últimos 10 anos anteriores a gestão Taques apenas 75 haviam sido nomeados".

Para a Segurança nos próximos quatro anos o Executivo promete "a ampliação na estrutura das forças, a criação do Conselho Estadual de Segurança Pública e Criação do Observatório da Segurança Pública, a estruturação do Sistema de Inteligência da Polícia Militar com equipamentos de operações e análise de inteligência, a implantação dos Centros Integrados de Comando e Controle (CICC’s) nas Regiões Integradas de Segurança Pública (RISP’s), a ampliação das operações integradas de combate ao crime nas divisas do Estado".

O eixo 2 do Plano de Governo de Pedro Taques trata das políticas de educação, ciência e tecnologia em separado, com o entendimento de que uma educação de qualidade transforma, ao mesmo tempo em que emancipa. "Dessa forma, abre as portas para o futuro viabilizando cenários inicialmente considerados inatingíveis", considera o Governo.

Taques destaca os avanços na política salarial. "Os profissionais da educação tiveram aumento real de 48,80%, ou seja, acima da inflação registrada no período. Além disso, também lembra da realização de concurso público para chamamento de novos policiais, da implantação do projeto Escola Plena e da escola da Arena Pantanal, ambas em tempo integral, da inauguração de 42 novas escolas, das reformas totais de outras 38 e da implantação de 8 novas escolas militares".

Para os anos 2019 e 2022, Taques promete "ampliar o atendimento nos anos finais do ensino fundamental e no ensino médio, desenvolver parcerias com os municípios a fim de delimitar os ciclos de atuação de cada ente federativo no âmbito de Mato Grosso, dar continuidade ao Programa de reestruturação da rede física das escolas da rede estadual e maior atenção às modalidades de ensino aos grupos sociais que vivem longe das áreas urbanas, no campo, nos quilombos ou nas aldeias indígenas".

No terceiro eixo do plano de Governo de Taques "estão concentradas as políticas que se dirigem à coletividade e criam as melhores condições para se viver nas cidades ou no campo, sendo elas: habitação, regularização fundiária e urbanística, mobilidade e acessibilidade urbana, além da proteção ao meio ambiente".

Já no quarto eixo do plano de Taques "estão as políticas voltadas não apenas às ações de infraestrutura e logística, mas às ações de incentivo e regulação das atividades econômicas, como as políticas gerais de tributação e fomento econômico. O eixo abrange as políticas para agricultura e pecuária, indústria, mineração, comércio e o turismo, entre outras".

No quinto e último eixo "estão os compromissos feitos para os campos fiscal administrativo, no planejamento de forma geral, com o objetivo de atender às demandas elencadas nos eixos anteriores, que exigirão valores como competência, transparência e eficiência".

 

Com Assessoria