Mauro Mendes reafirma alinhamento ao PDT e foca "desafio" de unir PSD e PRB - Foco Cidade
  • Cuiabá, 14 de Agosto - 00:00:00

Mauro Mendes reafirma alinhamento ao PDT e foca "desafio" de unir PSD e PRB


Sonia Fiori - Da Editoria

Ex-prefeito Mauro Mendes (DEM) asseverou neste domingo (15) o alinhamento ao PDT na composição à corrida ao Governo de Mato Grosso. Mendes, pré-candidato ao comando do Estado, assinalou que as articulações com o PDT "estão tranquilas", minimizando eventual mal-estar com pedetistas em razão da indefinição entre o PSD de Carlos Fávaro e o PRB de Adilton Sachetti na vaga ao Senado. 

Mauro Mendes disse que está em plena recuperação após romper o tendão de Aquiles, em junho, não impedindo suas atividades nas estratégias que visam, junto com o comando do DEM, alicerçar o projeto majoritário. 

No PDT, líderes defendem o nome de Sachetti na vaga ao Senado, mas as análises sobre o PSD de Fávaro levariam em consideração o peso do partido sobre sua representação. 

Em razão das informações nos bastidores de que a preferência seria pela composição com o PSD, Sachetti passou a ser cobiçado pelo PSDB do governador Pedro Taques e ainda pelo PR, com a pré-candidatura ao Governo do senador Wellington Fagundes. 

O ex-prefeito de Cuiabá assinalou que o período é de tratativas e que é possível agregar, mas não mencionou os planos sobre o desafio de aliar no mesmo grupo o PSD e o PRB.

Liderando pesquisas de intenção de voto recentes, Mauro Mendes também deu início às discussões sobre a elaboração do Plano de Governo, de registro obrigatório junto à Justiça Eleitoral. Crítico dos resultados da gestão Pedro Taques, ele tem como um dos impulsionadores das propostas de mudanças na administração do Estado o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), forte nome para compor sua vice.

Pivetta, braço forte na coordenação da campanha de Taques nas eleições 2014, chegou a apresentar no período de transição do Governo, inclusive anunciado em coletiva à imprensa à época, plano de redução de secretarias do Estado, passando de 19 para 12. Ele também queria reduzir em 70% o número de comissionados na máquina pública de Mato Grosso. 

A proposta não foi aceita por Taques, quando se deu o início do afastamento de Pivetta da gestão estadual, piorada com insatisfações relativas ao respaldo do Estado para com municípios.

Ele é um dos principais líderes em Mato Grosso unido à ideia de mudança de Governo, que junto com Mauro Mendes planejam a reformulação da administração de Mato Grosso, atingida pela crise na economia e que até hoje não consolidou o pleno equilíbrio fiscal e financeiro, em que pese os esforços da equipe sob Taques.

Nesta semana, estão previstas reuniões entre Mendes e líderes do PDT para afunilar os planos. As tratativas do DEM também não descartam até agora foco sobre o MDB de Carlos Bezerra, mesmo com a defesa de líderes emedebistas para manutenção do elo com o projeto do PR sob o senador Wellington Fagundes, outro nome de peso na corrida ao Governo.     




0 Comentários



    Ainda não há comentários.