• Cuiabá, 18 de Junho - 00:00:00

Energia de qualidade para o Araguaia, a nova fronteira agrícola de MT


Teomar Estevão Magri

No ano de 2015 várias entidades representativas, órgãos governamentais e empresas do setor elétrico fizeram um esforço muito grande para viabilizar uma solução emergencial na questão energética para a Região do Araguaia junto ao MME-Ministério de Minas e Energia, onde um dos fatores era especialmente a demanda reprimida e a qualidade da energia elétrica. A situação estava insustentável com muitos desligamentos diários e oscilações de tensão devido a grande extensão do sistema de transmissão a partir do único ponto de suprimento através da subestação da Rede Básica de Barra do Peixe (cerca de 910 km de linhas até Vila Rica e geração local insuficiente), além de impedir a ligação de novas cargas na região devido ao esgotamento da capacidade do sistema elétrico. Quantos mais pontos de pontos de suprimento, mais robusto e melhor torna-se o sistema elétrico do ponto de vista operacional, de confiabilidade e de flexibilidade.

A concepção inicial deste sistema elétrico implantado em 2007 e 2008 foi para possibilitar a desativação de 13 usinas térmicas a óleo diesel da distribuidora que consumiam cerca de 4 milhões de litros de diesel por mês com elevado impacto ao meio ambiente e interligar toda a Região ao Sistema Elétrico Nacional, possibilitando ainda a forte expansão do Programa Luz para Todos nesta parte do Estado até então um pouco esquecida. Com o passar do tempo o desempenho deste sistema elétrico foi piorando do ponto de vista de qualidade, continuidade e tendo sua capacidade de transmissão de energia esgotada. A função inicial de desativar as Usinas Térmicas e interligar as diversas localidades ao Sistema Interligado Nacional-SIN tinha sido cumprida mas agora novos desafios se apresentavam para atender aos anseios dos consumidores por melhor atendimento e por mais energia elétrica.

Neste contexto foi aprovada através da Portaria MME 333 de 21/07/15, a instalação em regime emergencial pelo MME de uma Usina Termoelétrica em Querência do Norte com capacidade de 20 MW de Potência. Iniciou sua operação já em meados de abril de 2016 e de forma emergencial ajudou a atender à demanda reprimida de energia e contribuiu para reduzir os desligamentos emergenciais das linhas por oscilação de tensão já que deu maior estabilidade elétrica ao sistema, que encontrava-se no seu limite.

Porém, a solução estruturante para a Região seria com as obras constantes do Leilão de Transmissão da ANEEL N° 13/2015 de 13/04/16 com prazo de conclusão previsto de até 48 meses, onde um novo ponto de suprimento de energia definido pela EPE-Empresa de Planejamento Energético, via Rede Básica de Operação para a distribuidora seria disponibilizado em Canarana, proporcionando maior confiabilidade e disponibilidade de energia para toda a Região do Araguaia. Anteriormente todos os Leilões realizados não haviam tido interessados, o que agravou e retardou ainda mais a solução para a Região. A vencedora deste Leilão foi a empresa chinesa State Grid Holding.

A distribuidora neste período executou várias obras de novos circuitos de linhas em seu sistema elétrico (duplicação da Linha Barra do Garças Xavantina 138 KV e a duplicação da linha de 138 KV entre Xavantina e Agua Boa) e instalação de um compensador síncrono em Confresa que juntamente com a Termoelétrica de Querência possibilitaram maior oferta de energia e menos interrupções no fornecimento de energia, principalmente em Vila Rica, Querência, Confresa, Canarana, Alto Boa Vista e outras localidades vizinhas menores.

Contudo a solução estruturante com o novo ponto de suprimento da Rede Básica em Canarana dependia da conclusão da Linha de Transmissão Paranatinga-Canarana 230 KV com extensão de 262 KM a cargo da State Grid.  E finalmente agora recentemente em 03/06/18, esta linha foi energizada e entrou em operação num tempo relativamente curto, cerca de dois anos após o Leilão, superando as expectativas iniciais de previsão.

Assim, este novo ponto de suprimento da Rede Básica de Operação através da Subestação Canarana 230/138 KV está agora reforçando o suprimento para a Região do Araguaia que se conectou ao sistema da distribuidora através de uma interligação em 138 KV na SE Canarana desta empresa.

Com isto a Usina Termoeletrica de Querência de 20 MW montada emergencialmente na Região está agora de stand by, devendo ser desativada em breve, após cumprir seu papel como uma solução emergencial rápida, em função da situação à época enfrentada pelo sistema elétrico.

Um dos grandes problemas de suprimento de energia no Estado, está agora melhor equacionado, pois havia muita demanda de energia elétrica reprimida na Região e com indicadores de qualidade que estavam aquém do esperado e que precisavam ser melhorados. Adicionalmente outros investimentos necessários e importantes estão em andamento para atender as projeções de mercado e o potencial desta parte importante do Estado, como um terceiro ponto de suprimento de energia no extremo do Estado em Vila Rica através de dois circuitos de linhas de 138 KV a partir do Pará via Santana do Araguaia, com previsão para conclusão em 2020, bem como a duplicação do circuito entre Agua Boa e Canarana, pela distribuidora em 2019.

A partir de agora, espera-se o atingir dos níveis desejados de continuidade e qualidade dentro dos limites estabelecidos pela Aneel-Agência Nacional de Energia Elétrica e possibilitar a expansão do sistema elétrico de distribuição sem restrições, visto que esta Região vem despontando como a nova fronteira agrícola de Mato Grosso, necessitando de uma atenção especial para atender a população, o crescente e exigente mercado do agronegócio, outras empresas e indústria, que necessitam da energia elétrica de boa qualidade como insumo fundamental.

 

Teomar Estevão Magri é Conselheiro do CONCEL-MT (Conselho dos Consumidores de Energia Elétrica de MT), Eng. Eletricista e de Segurança do Trabalho com MBA em Gestão de Negócios, Coordenador de Energia da SEDEC.




0 Comentários



    Ainda não há comentários.