• Cuiabá, 25 de Abril - 00:00:00

Operação da PF atinge VG; prefeitura ressalta mecanismos de controle


Da Redação - FocoCidade

A prefeitura de Várzea Grande, através da Secretaria de Comunicação, confirma em nota as investigações da Polícia Federal na gestão municipal integrando a Operação Encilhamento deflagrada nesta quinta-feira (12), que atinge municípios do Estado no combate a esquema de fraudes na aplicação de recursos de Institutos de Previdência.    

A gestão de Várzea Grande ressalta a implementação de mecanismos de controle e de segurança da transparência das ações no setor, assinalando que "em respeito a solicitação da Polícia Federal para a não manifestação enquanto perdurar as investigações, a Secretaria de Comunicação Social de Várzea Grande cumprindo determinação superior em se dar total transparência aos fatos aguardará manifestação dos órgãos de controle para então se manifestar em definitivo". 

Confira a nota na íntegra:

"A Secretaria de Comunicação Social de Várzea Grande em relação a Previvag tem o seguinte a esclarecer.

A Previdência de Várzea Grande - PREVIVAG, desde a posse da atual gestão, adotou medidas de transparência em sua atuação e nos dados públicos principalmente quanto ao fundo previdenciário que mantém as aposentadorias, pensões e benefícios de seus segurados;

Informações encaminhadas pela atual administração e gestão do Previvag para órgãos de controle como o Tribunal de Contas de Mato Grosso, Ministério Público de Mato Grosso, Controladoria Geral entre outros apontavam para aplicações de recursos do Fundo Previdenciário de forma irregular e duvidosa;

Essas aplicações supostamente datariam do período dos anos de 2013 e 2014, mas precisam ser confirmados.

Por decisão judicial, a Polícia Federal cumpriu mandatos de busca e apreensão de documentos para averiguação dos dados e comprovação dos fatos.

Em respeito a solicitação da Polícia Federal para a não manifestação enquanto perdurar as investigações, a Secretaria de Comunicação Social de Várzea Grande cumprindo determinação superior em se dar total transparência aos fatos aguardará manifestação dos órgãos de controle para então se manifestar em definitivo."

Operação

A Operação Encilhamento deflagrada nesta quinta-feira (12) pela Polícia Federal, pontuando a segunda fase da Operação Papel Fantasma, é realizada em sete estados e se estende a Mato Grosso. 

Policiais federais e auditores-fiscais da Receita Federal cumprem 60 mandados de busca e apreensão e 20 mandados de prisão temporária expedidos pela 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo, nos estados de SP, RJ, MG, PR, MT, SC e GO.

A operação ocorre com o apoio da Secretaria de Previdência - SPREV com objetivo de apurar fraudes envolvendo a aplicação de recursos de Institutos de Previdência Municipais em fundos de investimento que contém, entre seus ativos, debêntures sem lastro, emitidas por empresas de fachada. Estima-se que as debêntures emitidas por empresas de fachada ultrapassam o valor de R$ 1,3 bilhão.

Com o avanço das investigações, foram identificados 28 Institutos de Previdência Municipais. Estes investiram em fundos que, direta ou indiretamente, adquiriram papéis sem lastro. Foram identificados o envolvimento de uma empresa de consultoria contratada pelos Institutos de Previdência e elementos que apontam para corrupção de servidores ligados a alguns Institutos de Previdência.

Estão sendo investigados, até o momento, 13 fundos de investimento. No 2º semestre de 2016 foi constatada a existência de R$ 827 milhões em apenas oito destes fundos, dinheiro que, em última análise, destina-se ao pagamento das aposentadorias dos servidores municipais. (Com informações PF)




0 Comentários



    Ainda não há comentários.