• Cuiabá, 17 de Dezembro - 00:00:00

 Pagando bem: que mal tem!?


Paulo Lemos

Dois feitos brasileiros que nos enchiam de orgulho e nos colocava em patamar de simetria com grandes potências mundiais, a título de tecnologia desenvolvida, passível de servir de moeda de troca para obtermos segredos industriais e tecnológicos, tratavam-se da engenharia produzida pela Petrobrás, dando-nos condições de chegar ao pré-sal e extrair petróleo dali, milhões de barris por semana; e da expertise tecnológica da Embraer, que despertava interesse tanto à China quanto aos EUA, entre outros parceiros comerciais estrangeiros.

Enfim, no curto período da presidência do senhor Michel Temer, o comando de ambos os achados foram privatizados, senão pirateados, para agentes internacionais.

Defendo as eleições deste ano como saída democrática para o imbróglio criado em Brasília, de jeito nenhum a repristinação do regime militar.

Entretanto, justiça seja feita, embora os militares suprimiram os direitos civis e políticos de primeira dimensão, aparentemente ainda de pé, cambaleando no presente, nem eles, nem Collor, nem FHC, nem Dom Pedro, foram tão entreguistas como Temer.

Mais um pouquinho, ele entrega a mulher e o Michelzinho, sob o slogan: "Pagando bem, que mal tem".

Para quem já rifou a própria alma, tudo pode ser alienável, vendido, entregue de bandeja, como faria um vampiro ou um mordomo da família Addams.



Paulo Lemos é advogado em Mato Grosso.
(paulolemosadvocacia@gmail.com)