• Cuiabá, 21 de Junho - 00:00:00

Presidente do Tribunal de Justiça repudia crítica de promotor do MP


Da Redação - FocoCidade

O clima esquentou entre o Tribunal de Justiça de Mato Grosso e o Ministério Público Estadual (MPE). Por meio de nota, o presidente do TJ, desembargador Rui Ramos repudia “com veemência” a posição do promotor de Justiça, César Danilo Ribeiro de Novais, que numa conversa em grupo de WhatsApp, lança crítica efusiva sobre o Judiciário.

A conversa foi pontuada pelo Portal Gazeta Digital, na noite de sexta-feira (9), sendo repercutida no grupo de WhatsApp do FocoCidade pelo presidente da Associação Mato-grossense de Magistrados, José Arimatéa. Isso porque o promotor considerou que o "Ministério Público é bem maior que o Judiciário, moral e intelectualmente!" Destaca que em MT o Judiciário é muito abaixo da média".

Na manhã deste sábado (10), foi a vez do presidente do TJ rechaçar a “opinião” do promotor de Justiça. Desembargador Rui Ramos assinalou que "a comparação inaceitável e a opinião rasa proferidas pelo representante do Ministério Público em nada acrescentam ao bom relacionamento entre os integrantes do sistema de Justiça em Mato Grosso. Ao contrário, possuem efeitos perniciosos inclusive por parecer que se trata da opinião também de outros, em relação a todos os juízes e desembargadores".

Confira a nota de repúdio do TJ na íntegra:

"O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), desembargador Rui Ramos Ribeiro, repudia com veemência a opinião expressada pelo promotor de Justiça César Danilo Ribeiro de Novais, ao que consta, em um grupo de WhatsApp de integrantes do Ministério Público de Mato Grosso, e que veio a público através dos sites.

“É lamentável que  se pronuncie um integrante do Ministério Público, que tanto nos honra, de forma a macular o Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso, uma instituição centenária, formada por 256 magistrados e mais de 4,5 mil servidores que trabalham diuturnamente em prol da sociedade e, ainda, fazendo-o em ambiente onde não se impeça a publicidade de desairosa opinião!

Para o desembargador Rui Ramos, a comparação inaceitável e a opinião rasa proferidas pelo representante do Ministério Público em nada acrescentam ao bom relacionamento entre os integrantes do sistema de Justiça em Mato Grosso. Ao contrário, possuem efeitos perniciosos inclusive por parecer que se trata da opinião também de outros, em relação a todos os juízes e desembargadores.

Para finalizar, o desembargador Rui Ramos ressaltou que o respeito, a harmonia, a competência e a significativa atuação do Poder Judiciário e do Ministério Público do Estado de Mato Grosso, ao longo de mais de século, para a paz social, caminhada feita desde seus primórdios, com deferência ímpar entre seus membros, é um patrimônio dos mato-grossenses a ser preservado."
 




0 Comentários



    Ainda não há comentários.