• Cuiabá, 16 de Novembro - 00:00:00

Especial Mulher


Sonia Fiori

No Dia Internacional da Mulher, mulheres especiais e que desempenham importante contribuição ao desenvolvimento do Estado de Mato Grosso, em exercícios profissionais distintos e no contexto da representação política, pontuam o significado da data, num brinde à vida trilhada na luta e superação para o bem de todos os cidadãos – homens e mulheres!

 

“A luta da mulher é secular. A existência do Dia da Mulher foi um marco de luta e isso tem que continuar. Ainda há muita discriminação. Avançamos um pouco na família, mas os homens têm que ajudar. A mulher saiu para trabalhar mas a jornada é extenuante. Precisamos da ajuda dos homens para superar as dificuldades. A mulher saiu para trabalhar e encara tripla jornada. Precisa ter entendimento especialmente dos homens que têm que contribuir na tripa jornada. No trabalho a mulher ainda ganha menos que o homem.

E na luta política, porque ela é extremamente machista. Política não é só para o homem. A política tem que ser para o homem e para a mulher, porque a impressão que se tem é que política é somente para o homem. A política é algo extremamente do macho. Nas candidaturas sempre se elegem mais homens, e espaço conferido às mulheres existe, mas qual o apoio do partido? Tem que trabalhar muito para o empoderamento da mulher, e tem muito a se conquistar.

No Judiciário vêm mulheres para a política, mas ainda são poucas. No Congresso, nas Câmaras e nas Assembleias é necessário a mudança na lei porque 30% é pouco. Tem que ter leis diferenciadas. Vamos proclamar os homens para que nos ajudem, que andem junto conosco, os homens da família, companheiros de trabalho, porque todos são filhos de uma mulher, então devem tomar consciência de que é necessário que nos ajudem na superação. Que saibam que não somos objeto, não é uma coisa que pode ser espancada, ser tratada como um ser de segunda categoria. O respeito tem que acontecer do homem para a mulher e da mulher para o homem.” – Serys Slhessanrenko – Ex-senadora da República, ex-deputada e líder política.

“Sororidade é a palavra da moda que significa a união entre as mulheres. Ao demonstrar firmeza, ética e força nas minhas atitudes eu cuido de um pedaço de mim que existe em cada uma, encorajando-as a refletir sobre liberdade e respeito.” – Gabriela Novis Neves – Procuradora-geral do Estado de Mato Grosso.

"Hoje como primeira-dama da Capital, sinto-me na responsabilidade de representar todas as cuiabanas: aquela mãe que levanta cedo para garantir o sustento do filho; a estudante que depende do transporte público; a policial militar; a servidora pública; todas aquelas mulheres que conquistaram seu espaço e conquistam, a cada dia, o respeito e o espaço por mais igualdade. Parabéns pelo nosso dia porque ser mulher é ser força em forma de delicadeza e capricho, algo que o mundo precisa muito atualmente" – Márcia Pinheiro – Primeira-dama de Cuiabá.

“Ser mulher é perdoar o imperdoável, é recuperar o irrecuperável. É olhar para os lados e ver quem precisa do seu apoio e estender as mãos. É doar não aquilo que lhe sobra, mas sim o que lhe pode faltar, porque acima de tudo vem o amor pelo semelhante. Somente quem sabe sempre esperar por um recomeço, acreditando na força do amor que emana do seu coração. Homenagear as mulheres é resgatar o respeito pelo ser humano a quem Deus deu o dom de gerar a vida de todos os semelhantes.” – Lucimar Sacre de Campos – Prefeita de Várzea Grande.

“Ouse fazer e o poder lhe será dado.” – Rosana Martinelli – Prefeita de Sinop.

“Mulheres caçadas ao longo do ano, humilhações, mortes, agressões, machismo latente em pleno século XXI, será que no dia da mulher teremos paz?” – Sirlei Theis – Advogada e foi vítima de violência doméstica.

“Um dia especialmente pra lembrar das conquistas das mulheres na sociedade é o dia 8 de março para mim. Lembrar dessas conquistas é uma inspiração para honrar e respeitar a história de cada uma de nós. Oito de março Dia da Mulher. Oito de março Dia da Gratidão. Oito de março Dia do Amor!” – Sol Kreidloro – Ex-prefeita de Nova Bandeirantes / Consultora e membro da Associação Brasileira de Municípios (ABM).

“Avalio que houve avanços em vários setores, mas as mulheres ainda não têm acesso a todos os direitos que devem ter. Com isso, acredito que hoje nós ainda precisamos dessa data como um marco para nosso amadurecimento e para reflexão.” - Walesca Cardoso – Consultora Legislativa da Mesa Diretora e Coordenadora do Núcleo da CCJ da Assembleia Legislativa.

"Ser mulher é mais forte do que o olhos podem ver. E ter no coração um lugar para todos os sonhos do mundo." - Elzira Batista - Consultora Estratégica Parlamentar