• Cuiabá, 21 de Junho - 00:00:00

Advogado Paulo Lemos entra no cenário da disputa à Câmara Federal


 - Foto: Foto: Midianews
Da Redação - FocoCidade

Circula nos bastidores da política mato-grossense que o advogado Paulo Lemos estaria sendo assediado por pelo menos por cinco partidos políticos para assumir candidatura à Câmara dos Deputados, almejando conquistar uma das oito vagas disponíveis.

Lemos é considerado polêmico no meio jurídico, e conhecido por não fugir do debate ou do embate, seja qual for.

Por exemplo, quando era membro titular da Comissão de Direito Eleitoral da OAB/MT, foi ele que elaborou o pedido de providências dirigido ao então presidente Cláudio Stábile Ribeiro, protestando para que atuasse contra o esquema de compra e venda de decisões que havia instalado-se no TRE/MT, sob a presidência do então desembargador Evandro Stábile.

Isso acarretou o afastamento do desembargador e do falecido jurista Eduardo Jacob do Pleno do Tribunal. Lemos chegou a sustentar o tema na tribuna da audiência pública do CNJ realizada em Cuiabá, sob direção da então ministra Eliana Calmon.

Depois foi eleito e reeleito Ouvidor-Geral da Defensoria Pública do Estado de Mato Grosso, com assento no Conselho Superior, já naquela época posicionando-se contrário ao penduricalhos recebidos por defensores, juízes e promotores, além de ser lembrado como "algoz" do então defensor público-geral, André Prieto, tendo liderado um grande movimento, entre outros, junto com o promotor de justiça Mauro Zaque, e dezenas de organizações sociais, como a ONG MORAL, o MCCE, a FEMAB e Fórum de Direitos Humanos e da Terra, que culminou na queda de Prieto, por improbidade, e na reabertura de dezenas de núcleos no interior.

Chegou a ser eleito presidente do Conselho Nacional das Ouvidorias das Defensorias Públicas do Brasil, tendo deixado como legado a derrubada de um projeto de emenda constitucional no Congresso Nacional que pretendia abolir as Ouvidorias com titular escolhido com ampla participação da sociedade civil organizada.

Também ganhou notoriedade ante centenas de artigos de opinião publicados, muitos deles pondo o dedo em diversas feridas abertas nas hostes do poder.

Depois, foi chefe de gabinete da Secretaria de Segurança Pública do Estado, durante a gestão do então Secretário Mauro Zaque, oportunidade em que organizou e coordenou o 1° Fórum de Segurança Pública e Cidadania de Cuiabá e Várzea Grande, bem como da reorganização da administração sistêmica da SESP/MT.

O advogado, atualmente, com 36 anos de idade, começou cedo na atuação política, tendo sido dirigente estudantil universitário, até mesmo compondo oficialmente a direção da União Nacional dos Estudantes, mediante eleição ocorrida em Congresso, com universitários do Brasil inteiro como votantes.

Agora, Lemos pontua que "chegou a hora de fazer os enfrentamentos necessários em Brasília em defesa e para recuperação dos direitos atacados e roubados do povo matogrossense e brasileiro", quase como se tivesse de fazer uma nova constituinte e derrubar as reformas feitas pelo governo Temer, que "considera ilegítimo e criminoso". (Com assessoria)

 




0 Comentários



    Ainda não há comentários.