• Cuiabá, 19 de Novembro - 00:00:00

Sob Fávaro, PSD se organiza para defender participação em chapa majoritária


Da Redação - FocoCidade

So o comando do vice-governador Carlos Fávaro, o PSD de Mato Grosso lança plano estratégico, mirando espaço em chapa majoritária nas Eleições 2018. O nome de Fávaro por vezes é cogitado por líderes da oposição, como via para disputar o comando do Estado. Em que pese as tratativas, é certo também que sem o apoio do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, essa tese não deve prosperar. 

No leque de possibilidades para o pleito geral, o partido aposta em nomes para a Câmara Federal como o do presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga, que já mirou a metralhadora para o Palácio Paiaguás, em críticas ferrenhas sobre repasse de recursos aos municípios. 

No PSD, a leitura do diretor executivo, Stephano Carmo, é de que "a base do partido tem aumentado constantemente com o ingresso de políticos e empresários no projeto eleitoral para 2018".

Também devem enfrentar as urnas pelo PSD, segundo ele, o ex-deputado federal e empresário e Sinop, Roberto Donner; e de Nova Xavantina, o agricultor e ex-presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Endrigo Dalcin, além de Fraga.

Com uma bancada de seis deputados estaduais, cerca de 200 vereadores, 25 prefeitos e 21 vices, além de espaços importantes na gestão do executivo estadual, o PSD vem ganhando capilaridade e musculatura em Mato Grosso. Por isso a defesa da sigla de que tal crescimento deve garantir ao partido um espaço na chapa majoritária para as eleições de 2018.

Para Stephano Carmo, com a abertura da janela partidária entre março e abril, a expectativa é que o partido cresça ainda mais, pois prefeitos, ex-prefeitos, vereadores e outros nomes fortes no interior já teriam demonstrado interesse em migrar para a sigla. “As eleições de 2018 passam necessariamente pelo PSD, somos hoje um grande time, porque estamos fortes, coesos e preparados”.

O PSD já conta em sua base com José Augusto Curvo, Dr. Tampinha, primeiro suplente de deputado federal e assessor especial adjunto no Ministério de Ciência, Tecnologia e Comunicação; o ex-prefeito de Figuerópolis D'Oeste, Layr Motta, que desde 2015 está à frente da Empresa de Pesquisa Assistência e Extensão Rural (Emaper), o sercretário de Ciência e Tecnologia, Domingos Sávio, e o presidente da Agência de Estadual de Regulação (Ager), Eduardo Moura, ambos se destacam pela eficiência no trabalho desenvolvido na gestão executiva estadual.

Na lista cogitada para o pleito geral a agremiação aposta ainda em nomes como a ex-prefeita de Lambari D’Oeste, Maria Manea da Cruz; a ex-vereadora de Poconé, Carla Rondon; o agricultor Reck Junior, que disputou as últimas eleições para prefeito em Tangará da Serra; o coordenador geral da Juventude do PSD Felipe Morbeck, de Barra do Garças, que vem mobilizando os jovens do interior; e na capital, o vereador Toninho de Souza, entre outros. (Com assessoria)