• Cuiabá, 18 de Janeiro - 00:00:00

'Taques, Mauro e Blairo estão fechados. Esse é o jogo desenhado', avalia Onofre Ribeiro


Da Redação - FocoCidade

O cenário que para muitos é indefinido no contexto de candidaturas ao comando do Palácio Paiaguás, já está delineado na opinião do jornalista e analista político, Onofre Ribeiro.

As cartas depositadas na mesa do jogo da disputa eleitoral, não deverão colocar o governador Pedro Taques (PSDB) e o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, em linha de enfrentamento.

Os planos, segundo Onofre, consistem numa estratégica amarração eleitoral, que contaria com fechamento de questão acerca do pleito em projeto que conta com Taques, Mendes e o ministro da Agricultura, Blairo Maggi.

“Não haverá candidatura isolada do Mauro Mendes a governador, mesmo que apoiado pelo Blairo Maggi contra o Pedro Taques. Eles estão fechados. O acordo é mais ou menos assim: se em março o Pedro Taques sentir que está muito mal, ele faz um projeto de ir para o Senado. E nesse caso o Mauro Mendes seria governador, apoiado pelo Blairo e o Pedro Taques iria para o Senado apoiado pelo Blairo também e com seu próprio prestígio. Não há possibilidade nenhuma do Mauro Mendes ser candidato contra o Pedro Taques ao Governo. Esse é o jogo que está desenhado”, assinala Onofre Ribeiro.

Ele pontua o contexto do “oportunismo político”, provocado pela ausência de projetos claros.  

“Eu digo isso, nós temos muito índio sem cacique. E há um oportunismo político aí, ninguém tem projeto muito claro e está todo mundo aguardando os acontecimentos. Isso que é o oportunismo. Há um oportunismo no ar hoje”.

Esse viés de alinhamento político deverá contar com a integração de outros nomes fortes da política, leia-se o ex-senador e secretário de Assuntos Estratégicos de Várzea Grande, Jaime Campos (DEM).

“Mas o Blairo Maggi, o Mauro e o Pedro Taques jogarão muito parecido, e se jogarão muito parecido, também o Jaime Campos jogará parecido. Nós não temos em Mato Grosso nenhum grande projeto de oposição, essa é que é a grande verdade”, considerou.  




0 Comentários



    Ainda não há comentários.