• Cuiabá, 24 de Julho - 00:00:00

Governador diz que vai vender vagões se não houver acordo no VLT


Da Redação - FocoCidade

Está nas mãos dos Ministérios Públicos Federal e Estadual a continuidade ou não das obras do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos). É o que pontua o governador Pedro Taques (PSDB) em relação ao parecer dos MPs, que ressalta irregularidades no contexto de retomada das obras. Enfatiza ainda que irá vender os vagões do modal, caso não ocorra acordo. 

“Se o MPE e MPF entenderem que não vai ter VLT, vamos ter que vender os vagões e buscar outra alternativa”, disse o chefe do Executivo estadual na manhã desta segunda-feira (17), em visita às obras do novo Pronto Socorro de Cuiabá.

Os MPs apontaram que o governo do estado e o Consórcio VLT, em suas manifestações, não sanearam ou deram resposta adequada às irregularidades comprovadas na ação judicial para retomada das obras do modal Veículo Leve sob Trilhos (VLT).

Conforme os autos, “apesar de o estado de Mato Grosso ter afirmado que os Ministérios Públicos não apontam qualquer solução em seus relatórios quanto à proposta de acordo destinada à retomada das obras do VLT, a manifestação ministerial limitou-se a analisar a legalidade dos termos da proposta de acordo e a registrar as incongruências e vícios encontrados pelas perícias realizadas, sem, contudo, adentrar no mérito das escolhas administrativas discricionárias da Administração Pública”.

Taques foi taxativo em relação ao parecer. “É interessante entender que esse acordo foi feito e estamos superando algumas fases. Precisamos entender que fazer outra licitação é muito mais caro, que será internacional. Tem a questão do prazo. Então, estamos economizando dinheiro do Estado”, disse.

Considerou ainda que foi contra o VLT, e que o atual cenário não tem colaborado para a execução das obras. “Na época do VLT eu fui contra. E agora parece que o efeito bumerang inverteu. Agora queremos terminar o VLT e não podemos”.




0 Comentários



    Ainda não há comentários.