• Cuiabá, 18 de Julho - 00:00:00

Não são todos iguais

Além da diferença substantiva entre as delações contra Aécio e Lula, sendo que em face do primeiro foram produzidas provas robustas, como áudio e imagem da negociata empreendida e do recebimento de pasta recheada de dinheiro por intermédio do primo (alguém que poderia ser morto - de morte matada - antes de delação, como disse o então presidente nacional do PSDB), enquanto nada disso existe em desfavor do segundo, os mandados de busca e apreensão cumpridos na casa de um e do outro, bem como nos seus respectivos locais de atuação política, obtiveram resultados diametralmente opostos.

No caso de Lula nada de concreto foi achado, nenhum documento em nome de doleiro, tampouco listas com insinuações de recebimentos e/ou repasses clandestinos.

No caso de Aécio, encontraram documentos de doleiro alemão, listas de conexões e operações comprometedoras, envolvendo outros personagens, e muito mais.

Olha que interessante...

Lula foi presidente da República durante oito anos, enfrentou e superou várias investigações e denúncias, saindo ileso delas, e faz praticamente quatro anos que está na mira dos procuradores da República de Curitiba e do juiz Sérgio Moro, sendo que, porém, afora o PowerPoint estrambótico, até hoje não deram nenhum flagra nele ou encontraram provas que, tecnicamente, sejam aptas e idôneas para a condenação dele, por qualquer crime que seja.

Aécio, não foi presidente da República um único dia sequer, mas, foi só a polícia federal fazer uma operação controlada de um mês, ou pouco mais, que a casa dele caiu para não levantar mais, segundo desabafou e comemorou o próprio tio dele (desembargador aposentado), nas mídias sociais, após a prisão do seu filho, emissário de Neves para pegar a maleta de dinheiro.

Por isso que digo e repito, quando alguém disser que são todos iguais, é porque votou no Aécio, e tenta se defender nivelando todos os outros a partir da sua própria culpa, lupa e régua.

Independente de sua predileção afetiva ou ideológica, interesses ortodoxos ou heterodoxos, contra fatos não há argumentos, bem como contra provas só há lamentos.

E a os fatos e as provas produzidas até aqui, não, não são todos iguais.


Paulo Lemos é advogado especialista em Direito Público, professor de Direito Constitucional e Direitos Humanos, palestrante e articulista de opinião.



0 Comentários



    Ainda não há comentários.