• Cuiabá, 24 de Maio - 00:00:00

Compasso atrasado

Insistir, mesmo que seja só insistência, quem sabe pode dar algum resultado numa hora dessas. Falando em educação pros próximos passos da vida em todos os sentidos. Ontem trouxe breve abordagem sobre a educação pra esses tempos em que a inteligência artificial conduzida pela tecnologia, vai dominar todos os processos econômicos e a maiorias dos processos sociais.

Lembrando um exemplo dessa realidade. A revista-suplemento “Inovação”, encartada em recente edição do jornal Valor Econômico trouxe a informação de que antigas fábricas de veículos que usavam mão humana pra soldas, etc. passaram a usar robôs há alguns anos. Cada robô executava uma tarefa que está na sua memória de programação. Hoje os robôs estão conectados a um computador central ou a vários, que coordenam todo o processo industrial, administrativo e de planejamento da fábrica. E o computador central comanda os robôs que ampliaram muito a sua capacidade de trabalho. O sistema ordena que eles executem uma série de tarefas de acordo com a programação da linha de montagem.

Muitos desses computadores já conversam entre si e guardam os seus dados na nuvem, formando um grande big data onde são armazenados absurdos de dados. Descendo ao nível pessoal, grandes sistemas administrarão a internet das coisas que cuidará da gestão de casas, de escritórios, etc. Vai da administração do forno microondas até apagar as luzes. No fundo estamos falando de absoluta transformação no modo de viver que hoje conhecemos. Por mais histórico e tradicional que seja, não resistirá ao futuro.  Aqui entra a questão central. Nós humanos teremos os nossos papeis redesenhados desde o simplório acender e apagar das luzes, até as atividades mais complexas.

Por detrás desse admirável mundo novo (lembrar Aldous Huxley que já previa o mundo tecnológico em 1932 em livro do mesmo nome, como absoluta ficção científica). O mundo que vai guiar tudo isso passará em algum momento pela educação. Não essa educação de quadro negro e giz que nossas escolas ainda insistem em utilizar. No caso de Mato Grosso, onde a atividade econômica predominante atual e cada vez mais futura é o agronegócio, então nem se fala! Hoje drones já mapeiam toda a área cultivada e alimentam sistemas que orientarão as máquinas nas operações de plantio, cultivo, colheita e previsões de safra. Etc. etc.

Não vou entrar no mérito. Só registrar pra deixar a indicação que a educação será o maior e o principal de todos os insumos desses tempos.

Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso
onofreribeiro@onofreribeiro.com.br    www.onofreribeiro.com.br



0 Comentários



    Ainda não há comentários.