• Cuiabá, 15 de Julho - 00:00:00

Divida em dólar

Desde que o dólar passou da casa dos R$ 2 reais, há dois anos e meio, vem se discutindo a oportunidade da negociação de parte da dívida mato-grossense feita com o Bank os America, com aval da União. O Tribunal de Justiça de Mato Grosso concedeu liminar em mandato de segurança impetrado pelo Ministério Público de Mato Grosso, determinando que o poder Executivo do estado suspenda a quitação das amortizações do contrato de refinanciamento de parte da dívida pública do Estado de Mato Grosso.

Nesta semana conversei com o economista Vivaldo Lopes, que conduziu as longas negociações nesse sentido. Ele passou-me uma série de informações que julgo oportuno trazer neste artigo e no de amanhã, pra esclarecer dúvidas na sociedade, até porque o assunto vem sendo politizado na gestão atual. Primeiro o relato das dívidas, hoje. Amanhã, a renegociação e as conseqüências do não pagamento da parte dolarizada. Os dados abaixo são do economista Vivaldo Lopes.

1. O custo financeiro da dívida com a União foi reduzido de juros de 6% ao ano para 5% ao ano. O contrato com a União tinha como indexador inflacionário o IGP-DI/FGV e o novo contrato foi efetuado em dólar. 2. A  dívida em dólares deixada pelo governo Dante de Oliveira para o governador Blairo Maggi em janeiro de 2003 foi nos seguintes programas:

1- PRODEAGRO     BID U$    250 millhões  

2.) MODERNIZAÇÃO FAZENDÁRIA( PNAFE )                 BIRD ( Banco Mundial)    U$    95 milhões .

3.) PONTES DE CONCRETO         SAN PAOLO (Itália)              U$   65 milhões.

4.) REFORMA ADMINISTRATIVA  BIRD                             U$   65 milhões. TOTAL                    U$ 475 milhões.

Não foi considerado o contrato acertado com o BID para implantação do projeto ambiental BID/PANTANAL no valor total de US$ 200 milhões que foi cancelado pelo governador Blairo Maggi no primeiro ano de sua administração.

Todos esses empréstimos foram tomados com o dólar valendo um real, em razão da política de câmbio fixo do Plano Real. Quando começaram a ser quitados pela administração Blairo Maggi o dólar estava cotado a quatro reais em razão do chamado "Risco Lula", com a posse do presidente Lula em janeiro de 2003. Todos os empréstimos foram quitados durante o período Maggi ( 2003 a 2010 ) sem causar cataclisma nas contas estaduais. No primeiro mês do governo Lula ( janeiro de 2003 ) o dólar estava cotado a quatro reais e no último mês do governo do mesmo Lula (dezembro de 2010) o dólar estava com cotação de R$ 1,63. Até amanhã.

Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso

onofreribeiro@onofreribeiro.com.br   www.onofreribeiro.com.br

 



0 Comentários



    Ainda não há comentários.